COMPARTILHAR

A segurança residencial tem sido um tema recorrente nas conversas sobre o mercado imobiliário. Dados obtidos pela Globo News, no ano passado, mostraram que o número de invasões às residências cresceu 56% em São Paulo, quando comparado a 2017.

Por isso, é natural que os compradores passem a analisar a segurança que o imóvel oferece na hora de escolher uma casa para adquirir. Isso significa que não basta o imóvel ser bonito, é importante que ele contribua com a segurança dos moradores.

Você sabe o que deve ser avaliado nesse quesito? Então, acompanhe as dicas deste artigo para fazer sempre a melhor escolha!

A boa iluminação é fundamental para a segurança residencial

Grande parte dos crimes ocorrem à noite. Os criminosos se aproveitam da falta de iluminação pública, em alguns casos, quebrando as lâmpadas, para poder cometer seus crimes.

Por isso, é importante que o imóvel conte com pontos de iluminação externa, capazes de clarear o quintal e permitir que cães, câmeras de vigilância ou mesmo os vizinhos possam identificar algo fora do comum.

Se você tem uma árvore que possa se transformar em um ponto-cego, é interessante cortá-la, trocando-a por uma espécie que não dificulte a visibilidade.

O controle dos prestadores de serviço pode ajudar

Todos os moradores devem estar cientes quando a visita de um prestador de serviço é aguardada. Dessa forma, as pessoas não são pegas de surpresa, permitindo que a entrada de estranhos seja autorizada.

A casa deve estar devidamente murada

Muros muito baixos não impedem invasores, pelo contrário, contribuem para a ação de criminosos, já que poderão ser usados para que pessoas estranhas consigam se esconder com facilidade, bastando que elas se agachem.

Atenção na hora de abrir e fechar o portão

Se você não tem um portão automático, evite descer do automóvel para abri-lo ou fechá-lo. Bandidos podem aproveitar esse momento para render o motorista, roubar o carro e ter acesso ao imóvel.

É mais seguro pedir para que algum familiar abra o portão, pois isso demostra que o morador não está sozinho e permite que uma segunda pessoa observe o ambiente.

As crianças devem ser orientadas

Algumas informações sobre a rotina da casa devem ser preservadas para contribuir com a segurança residencial. A principal delas é o horário em que os adultos estão trabalhando. Por isso, converse com os seus filhos para que eles evitem contar para pessoas estranhas, principalmente pelo telefone, esse tipo de informação.

Você pode viver em um condomínio

Ao morar em um condomínio residencial de casas, o comprador terá uma equipe de colaboradores zelando pela sua segurança, um ambiente devidamente murado, com controle de acesso, e monitorado por câmeras.

Ter essa proteção em uma casa comum é possível, mas exigirá do proprietário a disponibilidade de fazer um grande investimento financeiro. Algo que não é necessário se ele escolher uma casa que faça parte de um condomínio fechado.

Como vimos, o seu próximo imóvel deve ser bonito, mas também precisa atender ao mínimo necessário para trazer segurança residencial para você e sua família.

Um condomínio residencial de casas é capaz de cumprir essa missão. O problema é que várias pessoas ainda não entendem muito bem as características dessa propriedade.

Se esse for o seu caso, leia um artigo especial no qual esclarecemos o que é um condomínio fechado de casas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here